Adolescente perde a vida ao cair e bater a cabeça durante “desafio da rasteira” em escola

A brincadeira do momento entre os jovens poder trazer sérias sequelas, ou até mesmo levar a óbito como aconteceu com a adolescente. Com certeza você já eve ter ouvido falar da brincadeira que está sendo um sucesso entre os adolescentes, um tipo de brincadeira que pode oferecer diversos riscos, além de levar a morte.

A adolescente Emanuela Medeiros da Costa de apenas 16 anos de idade, morreu na tarde de uma segunda feira, no dia 11 de novembro do ano passado, mas está semana a brincadeira teve uma grande repercussão.

A adolescente morava no Aeroporto II (Macarrão) em Mossoró, e após sofrer um traumatismo craniano, a jovem teria sido socorrida e levada para receber atendimento no hospital Wilson Rosado, onde teria ficado internada até o dia 8. De acordo com resultados de exames, a adolescente teria sofrido um traumatismo craniano encefálico após participar de uma brincadeira sem noção em sua escola.

O fato ocorreu na escola Municipal Antônio Fagundes, que fica no bairro Aeroporto, perto da residencia da família, a adolescente cursava o nono ano e estava no intervalo das aulas.

Conforme informações dadas pelos familiares, Emanuela estaria no horário de intervalo, e juntamente com os colegas, teria resolvido brincar de uma brincadeira de mau gosto.Durante a tal brincadeira, a adolescente teria caído de maneira brusca e batido com a cabeça no chão, o fato que teria ocasionado o traumatismo craniano. Logo após sofrer o acidente, a jovem teria sido socorrida imediatamente, e encaminhada ao hospital Tarcísio Maia, onde teria passado pelo primeiros atendimentos e sido submetida a uma cirurgia.

Como o hospital estava lotado, não possuía vaga na Unidade de Terapia Intensiva e a adolescente precisou ser transferida imediatamente para outro hospital, local onde ela acabou vindo a óbito.

O corpo da jovem foi encaminhado ao IML, para que ele possar passar por uma serie de exames e após isso ele será liberado para ser realizado o velório e sepultamento.

Segundo investigações, a brincadeira que levou a jovem a morte, tem sido mais comum entre os jovens em várias escolas, chamada de “roleta russa humana” a brincadeira é composta por 3 pessoas, onde 2 precisam girar o corpo da terceira pessoa e depois dá uma rasteira.

Por meio de uma nota, a prefeitura de Mossoró, lastimou o acontecimento e declarou que todos os encaminhamentos feitos urgentemente que foram precisos foram feitos.

Os pais da adolescente recebeu total apoio da secretaria de educação Magali Delfino, e também do diretor José Altemar, que foram solidários em prestar total assistência.

Os outros alunos que também estavam presente participando da brincadeira, foram encaminhados e passam por atendimento psicológico e acompanhamento da assistência social.

Via: g1.globo.com