Brasil em luto: Número de mortos sobe absurdamente e uma catástrofe é cogitada

A noticia foi divulgada há poucas horas, mas já viralizou e está causando muita preocupação em todo o país. Novo balanço da pasta foi divulgado nesta quinta (09) e em 24 horas foram registrados no Brasil 1.930 casos e 141 mortes, o que significa um aumento de 12%. No total, os números são alarmantes: 941 mortes e 17.857 casos confirmados.

No momento, o único estado brasileiro sem casos confirmados de óbitos pelo Covid-19 é o estado do Tocantins, e a região norte apresenta números mais baixos que o restante do país.

O Ministério divulgou ainda quais são as regiões com maiores índices de casos confirmados da doença, de maneira proporcional, sendo que a lista é liderada por Fortaleza (CE), seguida por São Paulo (SP), Manaus, entorno e Alto do Rio Negro, Distrito Federal (DF), Área Central (AP), Laguna (SC), entre outras.

No ranking de maior índice de mortalidade, as três primeiras regiões onde existem mais casos confirmados também ocupam as primeiras posições, no entanto, o município de São Paulo (SP) lidera a lista com coeficiente de 2,8 mortes a cada 100 mil habitantes.

O primeiro caso registrado do novo coronavírus no Brasil data de 26 de fevereiro, e desde então, conforme o Ministério da Saúde, já foram registrados 17.857 casos e imagina-se que o real número seja muito maior.

Em São Paulo, medidas drásticas serão tomadas e a localização das pessoas poderá ser monitorada pelo celular, para garantir que todos fiquem em casa.

A Caixa Econômica Federal informou que já foram creditados os primeiros pagamentos do auxílio emergencial disponibilizado pelo governo para 2,5 milhões de pessoas.

Desde o dia 31 de dezembro, quando a China informou a OMS da existência de um vírus desconhecido que se espalhava pelo país asiático, ele já chegou a 114 países, o que não é novidade em um mundo globalizado.

Em relatório publicado pelo Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, especialistas preveem que o pico da doença seja observado entre os meses de abril e maio.