Polícia deve entrar no BBB 19 para interrogar participantes

Após receber imagens com falas polêmicas de alguns participantes do BBB19, investigados por racismo e intolerância religiosa, o delegado da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolêrancia (Decradi) do Rio de Janeiro, Gilbert Stivanello, considera entrar na casa para interrogatório, segundo o Extra.

“Após ver as imagens com cuidado, se eu tiver alguma dúvida se uma determinada fala foi proferida em tom de opinião ou deboche, posso solicitar o interrogatório.

Uma coisa é falar que tem medo de determinada religião, que é uma opinião pessoal, outra é debochar”, alegou o delegado ao jornal.

No início dessa semana, o brother Maycon foi acusado de intolerância religiosa após dizer que sentia medo de Rodrigo e Gabriela, e acusá-los de fazer macumba contra ele e Isabella.

A TV Globo enviou os vídeos solicitados para serem analisados pela polícia, como confirmou o apresentador do programa, Tiago Leifert, na tarde de quinta-feira (14/2). Veja o anúncio:

“O programa ainda vai demorar a terminar, e a delegacia não pode ficar dois meses parada em função da programação. Se a emissora puder nos receber, ótimo.

Do contrário, a pessoa tem que atender a Justiça e isso poderia provocar a expulsão”, explica Gilbert Stivanello, que não informou o nome dos investigados.

A investigação começou depois de Paula e Maycon criticarem religiões de matriz africana, que Gabriela e Rodrigo se identificam. O vereador e ex-secretário estadual de Direitos Humanos, Átila Alexandre Nunes (MDB), reforçou à delegacia a necessidade de inquérito para investigar o caso.

“Se a Decradi não tomar providências, vamos fazer uma representação ao Ministério Público”, garantiu o ex-secretário.

Fonte: Metropoles
Capa: Reprodução globo