Advogado da filha que matou a família carbonizada no carro conta que elas estavam com medo de morrer

Segundo o advogado Siqueira, as mulheres teriam agido pelo medo. Um novo capítulo surge no crime que abalou o Brasil recentemente. Uma família foi morta, pai, mãe e filho de 15 anos, pela filha mais velha do casal, juntamente com a namorada. Ana Flávia, filha do casal, está presa com a namorada, Carina, acusadas do assassinato e roubo da família.

O corpo da família foi encontrado no porta-malas de um carro abandonado e carbonizado em uma zona rural. Depois de alguns dias de investigação, a policia que já acreditava haver mais envolvidos, ouviu o depoimento de um primo da Carina, que confessou ter participação no crime. As duas até então estavam negando todas as acusações, mas confessaram terem participado do roubo, mas não dos assassinatos.

A versão das mulheres foi dita pelo advogado das mesmas. O advogado, Siqueira, alega que o plano de roubar a família teria perdido o controle e tomado outro rumo. Segundo ele, Ana Flávia e Carina teriam ficado com medo de serem mortas.

Além delas, pelo menos outras quatro pessoas tiveram participação no crime. O advogado conta que eles eram conhecidos de Carina, e que ela já sabia como funcionava a ação dos rapazes criminosos. Ele conta que o plano se tratava de apenas roubar cerca de R$ 85 mil da família, porém tudo tomou um rumo diferente.

O advogado conta que elas disseram que o irmão mais novo de Ana Flavia e o pai teriam sido torturados para que passassem a senha do cofre, que quando aberto não havia quantia alguma dentro, o que levou aos criminosos a optarem pela morte de todos.

Na confissão, o primo da acusada alegou que Ana Flávia teria permitido as mortes, mas o advogado alega que só estavam com medo de morrer.

Não esqueça de deixar o seu comentário. Ele é de grande importância para toda a nossa equipe e sempre contribui para o diálogo de temas com maior relevância para nossos leitores.

Via: veja.abril.com.br