‘Eu dei 6 anos da minha vida para os filhos dela, ela não conseguiu dar 10 minutos para o meu neto’

Marta Alves, avó do menino Miguel, que com apenas cinco anos, caiu do nono andar de um prédio em Recife, se mostrou indignada frente a postura negligente da patroa que acabou ocasionando o terrível acidente. Ela fazia um sistema de rodízio no trabalho com Mirtes, mãe de Miguel. As duas trabalhavam como empregada doméstica na residência de Sarí Corte Real, esposa do prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB).

A avó do menino deu entrevista ao Fantástico deste domingo (7), e demonstrou uma tristeza profunda com a patroa, visto que, sempre tinha atenção e paciência com os filhos dela, e ela não teve com o seu neto. “Eu dei 6 anos da minha vida para os filhos dela, ela não conseguiu dar 10 minutos para o meu neto”, desabafou Marta.

A mãe de Mirtes esteve presente nas manifestações realizadas por um grupo de pessoas que buscava justiça pela morte de Miguel. De acordo com ela, só foi tomar ciência de como ocorreu a tragédia ao ver os vídeos da câmera de segurança após o enterro de seu neto.

Três dias após o ocorrido, Sarí escreveu uma carta se solidarizando com o sentimento dos familiares da criança, que não teria sido bem vista pela família. A tia de Miguel chegou a se referir à carta como maquiada, não transmitindo nenhuma sinceridade, e ressaltou a importância da busca pela justiça.

De acordo com informações da Polícia Civil responsável pelo caso, Sarí, no momento do ocorrido, era considerada responsável legal por Miguel, o que a torna culpada legalmente. A esposa do prefeito chegou a ser presa em flagrante, mas após o pagamento da fiança de R$ 20 mil reais, foi liberada, e vai responder o processo em liberdade.